Crise chega ao cenário musical e artistas têm cachês reduzidos
Publicado em 27/04/2016 às 06:46
Por: Isisnaldo Lopes

A crise econômica pela qual o Brasil atravessa afetou, também, o cachê de diversos cantores. Em alguns casos a redução foi de até 75%. A queda da margem de lucros é uma forma de os artistas continuarem trabalhando. Wesley Safadão, que ano passado ganhou as manchetes dos jornais por ser um dos artistas mais caros do Brasil, reduziu drasticamente o valor de sua apresentação, segundo o jornal Extra.

Em outubro do ano passado, o cantor sensação do momento, cobrava entre R$ 500 mil e R$ 800 mil. Hoje, ele já negocia um show por 'apenas' R$ 200 mil. Com a crise que assola todas as áreas, o número de shows também reduziu, consideravelmente.

Washington Brasileiro vai na contramão da crise e mantém a agenda lotada. Porém, o cantor reconhece que o momento econômico não é dos melhores. “A crise afetou geral. Mas a gente tem que ter jogo de cintura para ajustar as coisas. No final dá tudo certo. O ser humano vive com pouco, às vezes somos muito vaidosos e esquecemos desse detalhe. Esse tipo de situação serve para mostrar que é possível viver com pouco”, opina o artista.

Washington Brasileiro garante que a agenda de shows não caiu, no entanto, sua equipe sofreu algumas reduções, assim como a estrutura de palco. “Graças a Deus a gente continua tocando bastante. A gente trabalha com pouco ou com muito, mas trabalha”, ressalta o forrozeiro que toca em qualquer lugar. “Vamos onde o povo estar, não tem esse de fazer distinção de lugares”, completou o músico.

 

Com informações do Imirante 

Veja mais sobre: Região, Entretenimento,
Copyright © 2018 - 2019 | Portal iNotícia MA. Todos os direitos reservados.